Coronavírus já chegou a 28 cidades mineiras onde não há respiradores (parte 1)

Este conteúdo está liberado para reprodução, desde que creditados os autores e o projeto Coronavirus-MG.com.br. Você também pode inserir os gráficos em seu site por meio do código embed ("incorporar"). Esta é a primeira parte de uma análise baseada em dados do SUS e no Plano Diretor de Regionalização. As tabelas completas estão disponíveis aqui.

Alexandre Scotti/Agência Minas

Há mais de 300 aparelhos inativos no estado; eles serão recolhidos para reparos

Cristiano Martins e Ígor Passarini Do Coronavirus-MG.com.br Publicado em 21/04/2020 - Notas atualizadas em 22/04/2020 às 9h47 A disseminação da Covid-19 para o interior de Minas Gerais vem ratificando uma das principais preocupações das autoridades: a oferta de respiradores mecânicos, também chamados de ventiladores pulmonares. Segundo os dados oficiais disponíveis até esta terça-feira (21), já há casos confirmados da doença em 28 municípios que não dispõem do equipamento. A análise foi realizada pelo Coronavirus-MG.com.br com as últimas informações oficiais do Sistema Único de Saúde (SUS). Cabe destacar que esses dados são de fevereiro, e há uma diferença de 0,64% em relação aos números totais fornecidos atualmente pela Secretaria de Saúde de Minas Gerais (SES). O governo do estado, porém, não informa os detalhes por município ou microrregião (leia as notas ao fim da matéria).


As 28 cidades desprovidas do aparelho segundo os registros do SUS representam 20,7% do total de localidades com diagnósticos confirmados até este momento em Minas Gerais (135). Em três desses municípios, a pandemia já provocou mortes: Belmiro Braga, na Zona da Mata, Bonfim, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, e Varzelândia, no Norte de Minas. As vítimas apresentavam perfil de comorbidade (outras doenças graves), e não se sabe se a falta de respiradores influenciou ou não nos óbitos, nem se elas estavam sendo atendidas nas próprias cidades o estado divulga os números por local de residência dos pacientes. Para entender melhor esses dados, a análise levou em conta o Plano Diretor de Regionalização, ou seja, a divisão administrativa que reúne as cidades em microrregiões de saúde segundo a proximidade entre elas e os recursos disponíveis na rede assistencial.



Em outras palavras, a situação é menos grave em cidades desprovidas do equipamento, mas que estão inseridas em uma região com boa infraestrutura. Quatro das 89 microrregiões do Estado, porém, não possuem respiradores disponíveis, de acordo com os dados oficiais do SUS: Bocaiúva, Francisco Sá, Guanhães e Serro, totalizando 26 municípios.


No outro extremo, as microrregiões com as maiores médias de ventiladores pulmonares a cada 100 mil habitantes são as de Juiz de Fora (57,1), Belo Horizonte (53,7), Uberaba (50,7), Poços de Caldas (49,9), Uberlândia (44,9) e Montes Claros (44,9).

Segundo os últimos números do Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde (CNES), Minas possui um total de 6.263 respiradores, considerando as redes pública e privada. Destes, 5.926 estão aptos para uso, enquanto os outros 337 encontram-se quebrados, em manutenção ou stand by, por exemplo.


Se excluídos desta conta os respiradores pertencentes a entidades empresariais privadas ou pessoas físicas, o número cai para 4.657 aparelhos no estado, sendo 4.366 deles disponíveis para uso no Sistema Único de Saúde.


Reforço De acordo com a Secretaria de Saúde, 46 respiradores quebrados já haviam sido reformados e devolvidos até a semana passada, e outros 220 estavam sendo reparados para reforçar o atendimento aos pacientes em tratamento com Covid-19 em Minas. O recolhimento desses equipamentos é realizado pela Polícia Militar em clínicas e hospitais, e a manutenção, pelo Senai e outras empresas parceiras da iniciativa. No dia 13 de abril, a Advocacia-Geral do Estado (AGE) também conseguiu junto à Justiça Federal a liberação de R$ 84 milhões para a compra de até 1.600 novos aparelhos. O valor é parte da quantia que se encontra depositada em juízo pela Samarco a título de garantia pelo desastre na barragem de Mariana, ocorrido em 2015.


Notas


A lista de municípios sem respiradores, segundo o SUS, e com casos confirmados de Covid-19 até esta terça-feira (21), de acordo com a SES, é a seguite: Alpercata; Belmiro Braga; Bonfim; Carmo do Cajuru; Divinésia; Espírito Santo do Dourado; Ferros; Goianá; Guimarânia; Ipaba; Itaguara; Jeceaba; Mário Campos; Maripá de Minas; Marliéria; Monte Azul; Munhoz; Porto Firme; Santa Maria de Itabira; Santana do Paraíso; São Brás do Suaçuí; São José da Lapa; Sarzedo; Senador Amaral; Sobrália; Toledo; Varzelândia e Vazante.


É importante destacar que há uma pequena diferença entre os últimos números oficiais do SUS, referentes a fevereiro, e os divulgados atualmente pela Secretaria de Saúde de Minas Gerais. O governo do estado, porém, não informa esses dados detalhados por município ou microrregião. Os números da SES são os seguintes: Total de respiradores: 6.303 (+0,64%) Respiradores disponíveis: 5.964 (+0,64%) Respiradores na rede pública: 4.761 (+2,2%) Respiradores disponíveis na rede pública: 4.473 (+2,4%)


Na manhã desta quarta-feira (22), a prefeitura de Itaguara, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, informou que "a Santa Casa de Misericórdia da cidade possuiu quatro respiradores em plenas condições de uso e mais um respirador em UTI móvel".


Este espaço está aberto para atualizações enviadas pela Secretaria de Saúde ou prefeituras.

CORONAVIRUS-MG.COM.BR